Wednesday, July 22, 2020

O Vira-Pautas - David Leavitt

   

=== LINK INICIAL ===


Este é mais um livro que entra directamente para o blogue enquanto link inicial, sem ter sido mencionado por outro livro anteriormente.

A "culpa" volta a ser da Maratona Estações Literárias na qual estou a participar (organizada pelas booktubers: The Phoenix Flight e Croma dos Livros).

Uma das categorias para cumprir esta maratona é ler um livro LGBT. Da lista do Linked Books não tinha nenhum disponível na estante, pelo que optei por  este livro, que andava na estante há algum tempo à espera de ser lido. Já me haviam falado sobre este autor e tinha alguma curiosidade, por isso aproveitei agora que posso "deitar as culpas" na maratona :D.


Sinopse...


"Aos dezoito anos, Paul Porterfield sonha com tocar piano nas maiores salas de concerto do mundo. O mais próximo que esteve disso resumiu-se a virar pautas para o seu ídolo, Richard Kennington, um ex-menino prodígio que se encontra agora em plena meia-idade.

 De férias em Roma, com a sua mãe, Pamela, encontra Kennington uma segunda vez. Começa, então, entre eles um caso de amor, que se complica, quando Pamela interpreta as atenções de Kennington como um sinal de interesse por ela. Alarmado com a situação, Kennington escapa para Nova Iorque, onde o seu agente (e amante) o espera. Paul também vai para Nova Iorque estudar na Juilliard. Praticamente não se encontram, mas a sua breve aventura há-de afectar as suas vidas de uma forma que nenhum deles jamais poderia imaginar."

fonte: badana da capa



Opinião...


Neste livro o autor conta-nos a história de Paul e de Richard. Paul é um jovem que ambiciona ser pianista profissional. Tem como ídolo Richard, um pianista de enorme sucesso. Um dia Paul tem a oportunidade de virar pautas para Richard num dos seus concertos. Estar perto e conhecer o seu ídolo, é para Paul, um sonho tornado realidade...

Apesar de se poder "catalogar" este livro como uma história de amor, eu diria antes tratar-se de uma história sobre pessoas e sobre as relações que estabelecem entre elas. Vai um pouco além de uma simples história de amor, o que é para mim algo positivo.

É no entanto um visão bastante negativa das pessoas, das relações e diria até do mundo em geral. Talvez seja até mais realista do que outras histórias que li e gostei mais, mas o facto é que no final da leitura subsistiu uma sensação desagradável. Recordo do livro a teia de expectativas, ilusões, abusos, manipulações, interesses.... Recordo personagens pouco agradáveis, com os quais não empatizei... Recordo uma história com algum interesse, mas que não me fascinou ou marcou particularmente...

Resumindo, é uma boa história, que se lê com facilidade e rapidez. Gostei, mas não o suficiente para vos recomendar esta leitura.

Um livro do qual gostei, mas não o suficiente para ser uma "leitura recomendada" 


Linked Books...


O Bom Soldado - Ford Madox Ford  - é deste livro a citação introdutória ao Vira-Pautas de David Leavitt, e volta depois a ser mencionado na página 33:
"Porque não podem as pessoas ter aquilo que desejam? As coisas existem para contentar toda a gente, no entanto, toda a gente tem as coisas erradas."
Ford Madox Ford, The Good Soldier

" - ... É verdade que o Kessler deixou material para uma ópera baseada em The Good Soldier, Miss Novotna?..." (pág.33)

Vida Nova - Dante Alighieri  - Dante foi mencionado no texto e este foi o título escolhido para representar essa referência, por já se encontrar na minha lista de livros a serem lidos:
" - A Signora Mozarella é uma lenda na pátria de Dante . observou Mr. Mansourian." (pág.16)

Alice do Outro Lado do Espelho - Lewis Carrol  - esta obra foi mencionada no texto:
" Um certo cinismo arreigado subjaz à mecânica do luxo novaiorquino, reflectia ele, à medida que a suave engrenagem bem oleada o admitia no átrio, as escovas nas suas arestas varrendo delicadamente o mármore polido, lançando-o numa multiplicidade de reflexões, como Alice do outro lado do espelho, pensava por vezes." (pág.65)

Companion Guide to Rome - Georgina Masson  - a autora foi mencionada no texto e julgo que é a esta obra que a passagem se refere:
" - No Panteão ele leu alto para ela Georgina Masson. Sob a enorme abertura no centro da cúpula de mármore, onde se inscreviam pequenas condutas, ainda havia humidade da tempestade da véspera." (pág.74)

Torquato Tasso - Johann Wolfgang von Goethe  - Goethe foi mencionado no texto e este foi o título escolhido para representar esta referência, por dois motivos - por o ter na estante e por ter lido que Goethe terá trabalhado nesta obra durante a sua viagem a Itália:
" Porquanto a arquitectura de Roma não é monumental como é monuntalmente indiferente. Aborrece. São aos milhares os que passaram por aqui, parecia dizer. Goethe, Liszt. Não lhe interessa. " (pág.75)

Carrie - Stephen King- no texto ocorreu uma referência a "Carrie" - penso que a referência terá sido ao filme e não ao livro, mas resolvi incluir o livro com o mesmo nome, de autoria de Stephen King, e no qual o filme se baseia:
" - Lembra-te, sou aquele que meteu a mão no triturador do lixo. Como no Carrie. " (pág.94)

Diários - Virginia Woolf - mencionados no texto:
" - A meia idade dos larilas não deve ser contemplada sem horror - disse ela após um momento.
  - O quê?
  - Virginia Woolf, dos seus diários. Não te aflijas, não fui eu que escrevi ...  " (pág.109)

Maurice - E.M. Forster - obra, personagens e autor, foram mencionados no texto:
" - ... A propósito, acabei o Maurice. Obrigado por mo teres emprestado.
  - Que achaste?
  - Gostei de tudo menos do fim. Talvez seja cepticismo, mas o facto de ficares sem saber o que aconteceu ao Maurice e ao Alec depois de terem fugido juntos não me assenta.
(...)
  - Era, naquele tempo. Mas não importa, diz o meu professor, porque para os homens da geração do Forster o vergel era um hipotético espaço favorável a gays que eles tinham de pressupor para terem vontade de viver.  " (pág.139)

Retrato de Uma Senhora - Henry James- o autor foi mencionado e este foi o título escolhido para representar esta referência, por já se encontrar na minha lista de livros a serem lidos:
" Alden era um homem de quarenta anos, de tez clara, bem aprumado, uma paouco para o gordo, e embora jantasse fora tantas vezes como Henry James no seu tempo, raramente convidava amigos para casa." (pág.143)