Sunday, December 31, 2017

Clepsydra - Camilo Pessanha

Linked by... 

Chego à leitura deste clássico da poesia nacional, pela mão do autor português João Aguiar. Foi João Aguiar que no seu livro "Os Comedores de Pérolas", mencionou Camilo Pessanha. O título Clepsydra foi escolhido para representar essa ligação ao autor, por ter encontrado na altura, uma edição disponível no site winkingbooks. Não me recordo se este livro acabou por vir ou não do winkingbooks , mas já estava na estante há algum tempo. Aproveitei um desafio da Maratona Literária Outono/Inverno 2017 em que estou a participar, desafio esse que consistia em ler um livro com menos de 100 páginas, para finalmente me lançar nesta leitura.

Linked synopsis...

"Os versos do primeiro poema de Clepsidra, "Inscrição" - "Eu vi a luz em um país perdido./A minha alma é lânguida e inerme./ Oh! Quem pudesse deslizar sem ruído! / No chão sumir-se. Como faz um verme…" -, dizem o essencial da biografia e da obra deste poeta nascido em Coimbra (1867) e falecido em Macau (1926), após uma existência segregada desde o nascimento e a reunião tardia num escasso volume duma obra publicada dispersamente.

A poética da pura sugestão encontra em Pessanha um cultor de exceção; tudo é apenas insinuado, nunca dito, através de atmosferas onde o mistério e o sonho se cruzam para dizer o indizível como nesse extraordinário poema de amor e morte que é "Floriram por engano as rosas bravas…" Ao serviço daquela poética coloca o poeta o decassílabo para o qual encontra desvios inovadores e expressivos que trazem à sua poesia um timbre musical único. Fernando Pessoa terá confessado que conhecia quase todos os poemas de Pessanha de cor. É natural: a modernidade não vanguardista de Pessanha está-lhe nos genes."
fonte: wook

Linked opinion...

Não sou leitora assídua de poesia e não posso também dizer que seja um dos meus géneros favoritos, mas a verdade é que aqui no blogue já tive o prazer de ter algumas surpresas, pelo que foi com entusiasmo e de espírito aberto que iniciei esta leitura.

Se bem que não se revelou uma leitura arrebatadora, este pequeno livro foi no entanto uma leitura muito agradável. A forma como o autor domina as palavras , os sentimentos que evoca,  a melodia e ritmos intrínsecos, tudo é de uma enorme beleza, reveladora da grande mestria do autor.

Esta poesia foi a mais melódica e rítmica que alguma vez li, quase mesmo como música sem o som de instrumentos, onde as notas são trocadas por palavras e é o som dessas palavras que nos embala a leitura.

Só não gostei mais desta leitura, porque senti os temas algo distantes, não me fazendo "sentir", factor que é na minha opinião a maior qualidade da poesia. É na poesia que me faz sentir, quase sofrer ou alegrar-me com o poeta, que me revolve os sentimentos e me deixa a pensar, é nessa a poesia que mais encontro gosto por este género literário.

A poesia do presente livro é uma poesia linda, ritmicamente perfeita, mas falhou por não me fazer sentir. Senti-me como uma admiradora de uma linda obra de arte, mas que me fala pouco ao coração.

Assim, e pelo que disse anteriormente, recomendo esta obra a todos os amantes de poesia, mas não gostei o suficiente para a recomendar de uma forma geral a todos os leitores deste blogue.

Linked opinion by others...

Não tendo encontrado blogues com opinião sobre este livro, ficam algumas opiniões diversas que encontrei no Goodreads:

Linked books...

A Educação no Japão  - Venceslau de Morais (o autor foi mencionado na biografia de Camilo Pessanha, tendo sido este título escolhido para representar essa referência, por ser o título do autor mais barato que encontrei no site da fnac)

China - Camilo Pessanha (obra mencionada na biografia do autor)

Contos Tradicionais Portugueses para as Crianças - Ana de Castro Osório (a autora foi mencionada e este título foi o escolhido para representar essa referência, entre os títulos disponíveis da autora na fnac)

Mensagem - Fernando Pessoa (Fernando Pessoa foi mencionado na biografia do autor. Já aqui lemos "O Marinheiro", pelo que optei por escolher a "Mensagem" para representar esta referência, por já se encontrar na nossa lista de livros a serem lidos)

O Além-Mar na Literatura Portuguesa - João de Castro Osório (o autor foi mencionado, e este foi o título escolhido por ter sido o que mais encontrei disponível ao pesquisar na net)

Viagem à Holanda - Paul Verlaine (Paul Verlaine, foi citado, nomeadamente um dos seus poemas - ver embaixo o "linked poem"- pelo que resolvi escolher um título do autor para representar essa referência. Este foi o único título com edição em português que encontrei disponível.)

Linked people...

Venceslau de Morais
Ana de Castro Osório
João de Castro Osório
Óscar Lopes
Fernando Pessoa
Paul Verlaine

Linked poem...

Il Pleure dans mon couer
Paul Verlaine

Il pleure dans mon cœur
Comme il pleut sur la ville ;
Quelle est cette langueur
Qui pénètre mon cœur ?

Ô bruit doux de la pluie
Par terre et sur les toits !
Pour un cœur qui s’ennuie,
Ô le chant de la pluie !

Il pleure sans raison
Dans ce cœur qui s’écœure.
Quoi ! nulle trahison ?…
Ce deuil est sans raison.

C’est bien la pire peine
De ne savoir pourquoi
Sans amour et sans haine
Mon cœur a tant de peine !

Linked words...

a flux - abundantemente, a rodos; unanimemente.

hemoptise - expectoração de sangue; hemorragia da membrana mucosa do pulmão.


ptomaína - putrefacção cadavérica; parte apodrecida de qualquer organismo; infecção que resulta dessa putrefacção.


vesânia - nome genérico dado a doenças ou perturbações mentais.

4 comments:

  1. Gostei tanto do poema! Adoro poesia!

    ReplyDelete
  2. Adoro poesia! Tem tudo haver comigo

    ReplyDelete
  3. Então tem que ler este livro! :)

    ReplyDelete
  4. Um óptimo livro de um grande poeta português, nascido em Coimbra. Gostei da opinião sobre o livro.

    ReplyDelete