Tuesday, March 15, 2016

O Menino Que Perdeu a Magia - Celly Borges

Linked by...

Este livro é uma excepção no Linked Books, pois não foi mencionado por nenhum outro. Como os nossos leitores mais habituais sabem, a nossa missão no "Linked Books" é ir viajando de livro em livro, procurando em cada um, tudo o que é mencionado e que nos é desconhecido. "From book to book on a quest for knowledge" é o nosso já conhecido lema. E quem determina os livros que lemos são precisamente os livros já lidos, quando neles são mencionados novos títulos e autores.

Mas por vezes e por motivos que nos são especiais, permitimos que entre um novo "First Link", ou seja um livro que em si será uma nova origem, e que enceta uma nova viagem.

É o caso deste livro "O Menino que Perdeu a Magia" de Celly Borges. Sobre os motivos especiais que me levaram a incluir este livro no blog, devo confessar que são  muito pessoais.  Aconteceu que o meu percurso enquanto autora cruzou o da autora deste livro. Foi pela minha participação no livro Insonho - Durma bem que tal aconteceu, e que fiquei a conhecer também a editora Estronho. Esta experiência foi tremendamente positiva, especialmente pelo profissionalismo e pela simpatia de Celly e de Marcelo (o editor), tendo elevado o meu interesse pelos livros que publicam. Assim, logo que tive oportunidade comprei este livrinho, e confesso que estava "em pulgas" para o ler.


Linked synopsis...

"A história que vou contar me foi contada. Ela é repleta de sonhos e seres fantásticos. É sobre um homem chamado senhor Conrad, mas começa quando ele ainda nem havia recebido o título de "senhor" e foi horrivelmente obrigado a abandonar a sua magia, os seus sonhos. 

Ou assim acreditavam as pessoas que já haviam perdido as suas magias. 

Começa assim: 
Daniel Conrad era feliz e apreciava sua infância..."

fonte: Amazon
Linked opinion...
Como anteriormente referi, ainda antes de ler este livro já ele era especial para mim, e antecipei desde cedo uma boa leitura. Felizmente não me enganei. Trata-se de uma história simples, com um estilo de escrita bem direccionado ao público a quem primariamente se destina.  Mas apesar de o livro estar categorizado como literatura infantil/juvenil, considero que pode (e talvez até deva) ser lido também pelos mais velhos. Julgo que a ninguém fará mal olhar a vida com olhos de criança, antes pelo contrário.

A simplicidade da história e da escrita conferem ao leitor uma espécie de nitidez privilegiada para espreitar estes personagens e sentir-se com eles a viver a história. Podem contar também com duas constantes ao longo de todo o texto: a imaginação e a criatividade. Acima de tudo, o que mais gostei foi ter conseguido "sentir" o carinho e o "grande coração" da autora através das palavras que escreveu. 

Não posso deixar também de fazer um elogio às ilustrações de Caroline Mancini e à editora, pois o livro físico é delicioso, com muita atenção ao pormenor. Sente-se o cuidado, a atenção, e diria até o amor na concepção deste livro,  à imagem aliás, de todos os livros da editora que conheço até ao momento.

O único problema que o leitor português poderá encontrar, é o facto de se encontrar escrito em português do Brasil, mas sinceramente não vejo nisso qualquer inconveniente. Pessoalmente até achei bastante engraçado conhecer e descobrir expressões e palavras "novas".

Linked opinions by other bloggers...
Linked books...

O Livro do Cemitério - Neil Gaiman (a citação introdutória de "O Menino que Perdeu a Magia" pertence a este livro de Neil Gaiman: "As pessoas querem esquecer o impossível. Isso torna o mundo delas mais seguro")

A História Sem Fim - Michael Ende

Linked music...

Linked insect...
Cupins
Linked toy...
Pipas
Linked clothing...
Sapato de Salto Anabela
Coturno

Linked looked up words...
Deparei-me com a necessidade de verificar o significado destas duas palavras, mais utilizadas no Brasil,
grife - marca comercial, geralmente associada ao nome do fabricante ou criador (ex: roupa de grife)
sapeca - diz-se de ou pessoa irrequieta ou que faz travesuras = traquinas; triquetraz.