Wednesday, October 1, 2014

Nove Histórias - J. D. Salinger

Linked by...
Apesar de este ser já o segundo título de J.D.  Salinger  neste blog, o "Nove Histórias" surge aqui, solitariamente, enquanto "Link Inicial", sugerido na plataforma Goodreads por Joana Andrade.

Em relação ao título deste autor anteriormente lido ("À Espera no Centeio"), a minha experiência de leitura ficou um pouco àquem das expectativas. Não que seja um mau livro, pelo contrário, mas apenas por não ter correspondido a tudo quanto havia lido sobre ele.

Para este título porém, não criei expectativas. Sei que é um bom autor, e tendo gostado da sua escrita e do romance já lido, estava curiosa para saber como seriam os seus contos.

Esta edição, da Quetzal, cujas edições muito aprecio, encontrei-a numa Bertrand em Junho deste ano, e tendo alguns "cheques oferta" ainda do meu aniversário, resolvi seguir esta recomendação da Joana, e meter "mãos à obra".

Linked synopsis...

«Estas “Nove Histórias” (1953) incluem boa parte das ficções curtas que J. D. Salinger decidiu recolher em livro (outros dois volumes reúnem um conto e três novelas). Quase todos os textos foram publicados na revista “The New Yorker” e causaram grande impacto pela sua originalidade e estranheza. As histórias têm traços comuns: enredos minimais e elípticos, acontecimentos interligados de modo oblíquo, conversa fiada, histórias dentro de histórias, enigmas zen. E soldados traumatizados pela guerra mundial que convivem com crianças sábias, inquietantes, perturbadas.»

Pedro Mexia, Expresso

Linked opinion...
Agora sim entendi a genialidade de Salinger. Não com o seu romance "À Espera no Centeio", mas com estes contos que são absolutamente magníficos, sob todos os pontos de vista. Quando li o seu romance, fiquei com a impressão que o sucesso obtido, pudesse estar relacionado com a época em que foi escrito. Já estes contos, apesar de estar em evidência uma época muito específica, a do pós-guerra, são intemporais.

Nada me preparara para o que encontrei nas páginas deste livro, pelo que fui totalmente arrebatada por estas nove histórias, algo que infelizmente já raramente me acontece. Livros bons tenho lido muitos, mas livros como este, que me deixam sem palavras, são raros.

Quando iniciei a leitura da primeira história, tudo começou de forma normal: um cenário habitual, uma personagem normal que poderia ser facilmente estereotipada, uma conversa comum... Até que tudo deixou de ser habitual, normal ou comum...até ao final do livro. Simplesmente maravilhoso: nada acontecia como esperava, ninguém dizia o que  seria normal, ninguém se comportava de acordo com os "padrões"... e daqui resultaram histórias fascinantes.

Os cenários são fora do comum, as histórias são excepcionalmente criativas e imaginativas, e os personagens são "escorregadios". Quando já pensamos "conhecê-los", dizem ou fazem algo que faz com que já não caibam na "caixinha" a que os destinámos. E é assim a vida. Mais confusa do que habitualmente é retratada nos livros, sem sentido muitas vezes, com duplos e triplos significados,  sem desfechos satisfatórios, com expectativas frustradas , e que se vai desvendando por caminhos que se invertem, torcidos e retorcidos. E é muitas vezes na falta de controlo que temos sobre ela e na nossa própria impotência, que se encontra a sua verdadeira beleza. Assim senti estas histórias.

Estes são os títulos dos magníficos contos que este livro contém:

1ª história: "Um dia ideal para o peixe-banana"
2ª história: "Pai Torcido no Connecticut"
3ª história: "Pouco antes da guerra com os esquimós"
4ª história: "O homem que ri"
5ª história: "Em baixo no bote"
6ª história: "Para Esmé - com amor e sordidez"
7ª história: "Linda boca e verdes meus olhos"
8ª história: "A fase azul de De Daumier-Smith"
9ª história: "Teddy"

São todos de qualidade acima da média, mas se tivesse que escolher um só, escolheria a 6ª história, "Para Esmé - com amor e sordidez". Apetecia-me  falar um pouco sobre cada conto,  mas não o vou fazer. Acho que quanto menos se souber sobre este livro antes de o ler, melhor. Depois sim, poderão e deverão vir as análises e as reflexões. E da experiencia de leitura que tive, este livro é uma fonte quase inesgotável para tal.

Resumindo, não tenho mais palavras para aconselhar este livro. Devo dizer que até hoje é o melhor livro de contos que alguma vez li. Não deixem de o ler.

Linked opinions by others...
opinião por Paulo Neves da Silva em "CITADOR
opinião em "O Planeta Livro"

Linked books...
Little Black Sambo - Hellen Bannerman (foi referido o livro "O Pretinho Sambo" na 1ª história, intitulada "Um dia ideal para o peixe-banana")

A Túnica - Lloyd C. Douglas (mencionado na 2ª história, intitulada "Pai Torcido no Connecticut")

Orgulho e Preconceito - Jane Austen (a autora foi mencionada na 2ª história, intitulada "Pai Torcido no Connecticut", e este foi o título escolhido para representar essa referência, por já se encontrar na nossa estante de livros a serem lidos)

O Adeus às Armas - Ernest Hemingway (Hemingway foi mencionado na 3ª história, intitulada "Pouco antes da guerra com os esquimós", e este foi o título escolhido para representar essa referência, por já se encontrar na nossa lista de livros a serem lidos)

Die Zeit Ohne Bespiel - Joseph Goebbels (mencionado na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez")

Os Irmãos Karamazov  - Fiódor Dostoievsky (na 6 história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez" foi referida a seguinte citação deste romance: "O que é o Inferno? Quanto a mim é o sofrimento de ser incapaz de amar")

Madame Bovary - Gustave Flaubert (obra mencionada na 7ª história, intitulada "Linda boca e verdes meus olhos")

Utopia - Sir Thomas More (na 8ª história, que se intitula "A fase azul de De Daumier-Smith", foi mencionada a coleccção completa dos "Clássicos de Harvard" , e também referidos individualmente os volumes 36, 44 e 45 desta colecção. Para representar estas referências, foi escolhido este título de Sir Thomas Moore, que faz parte do volume 36.

Conversas à Mesa - Lutero (na 8ª história, que se intitula "A fase azul de De Daumier-Smith", foi mencionado o autor. Escolhemos este título para representar esta referência, uma vez que já se encontrava na nossa lista de livros a serem lidos)

O Mistério do Doutor Fu Manchu - Sax Rohmer (na 8ª história, que se intitula "A fase azul de De Daumier-Smith", foram referidos "os livros da série Fu Manchu de Sax Rohmer. Este título foi o escolhido, por ser o primeiro livro publicado dessa série)

Linked citations...

"Nada na voz da cigarra anuncia que em breve irá morrer" (Matsuo Banshô)

"Pergunto-me: o que significa o Inferno? Afirmo: A incapacidade para amar" (Fiódor Dostoievski

Linked people...
Bela Lugosi
 mencionado na 2ª história, intitulada "Pai Torcido no Connecticut"
Akim Tamiroff
 mencionado na 2ª história, intitulada "Pai Torcido no Connecticut"
Buck Jones
 mencionado na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Ken Maynard 
mencionado na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Tom Mix 
mencionado na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Robert E. Lee 
mencionado na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Hattie Carnegie
mencionada na 5ª história, intitulada "Em baixo no bote"
Bob Hope
mencionado na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
Sargent 
 mencionado na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Titan 
mencionado na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Antonello da Messina 
mencionado na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
José de Arimateia 
mencionado na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Linked places...
Jacksonville (Florida, E.U.A)
localidade mencionada na 2ª história, intitulada "Pai Torcido no Connecticut"
Trenton (Nova Jersey, E.U.A.)
localidade mencionada na 2ª história, intitulada "Pai Torcido no Connecticut"
York Avenue (Manhattan, Nova Iorque, E.U.A)
avenida mencionada na 3ª história, intitulada "Pouco antes da guerra com os esquimós"
Altoona (Pensilvânia, E.U.A)
localidade mencionada na 3ª história, intitulada "Pouco antes da guerra com os esquimós"
Escola Pública nº 165 (Manhattan, Nova Iorque, E.U.A)
escola mencionada na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Amsterdam Avenue
avenida mencionada na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Lexington (Manhattan, Nova Iorque, E.U.A)
avenida mencionada na 3ª história, intitulada "Pouco antes da guerra com os esquimós" e também na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Terceira Avenida (Nova Iorque, E.U.A)
avenida mencionada na 3ª história, intitulada "Pouco antes da guerra com os esquimós"
Ponte George Washington (E.U.A.)
mencionada na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Wellesley College (Massachussetts, E.U.A.)
mencionado na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Quinta Avenida (Manhattan, Nova Iorque, E.U.A.)
mencionada na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Jones Beach (Nova Iorque, E.U.A)
mencionada na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Rua 110 (Manhattan, Nova Iorque, E.U.A.)
mencionada na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Devon (Inglaterra)
condado do sudoeste de Inglaterra, 
mencionado na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
Albany (Nova Iorque, E.U.A.)
localidade mencionada na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
floresta de Hürtgen (fronteira entre a Bélgica e a Alemanha)
 mencionada na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
Valognes (França)
 mencionada na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
Península de Contentin (França) 
mencionada na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
Princeton (Nova Jérsei, E.U.A)
 mencionada na 7ª história, intitulada "Linda boca e verdes meus olhos"
Columbia (Nova Iorque, E.U.A.)
 mencionada na 7ª história, intitulada "Linda boca e verdes meus olhos"
Avenue Vitor Hugo (Paris, França)
 mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Igreja de Manhattan (Nova Iorque, E.U.A.)  
mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"

Rua 48 (Nova Iorque, E.U.A.)
 mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Rua 57 (Manhattan, Nova Iorque, E.U.A)
 mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Windsor Station (Montreal, Quebec, Canadá)
 mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Verdun (Montreal, Québec, Canadá)
 mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Windsor (Ontário, Canadá)
 mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Bangor (Maine, E.U.A.) 
mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Trinity College (Dublin, Irlanda) 
mencionado na 9ª história, intitulada "Teddy"
Elizabeth (Nova Jersey, E.U.A)
 mencionada na 9ª história, intitulada "Teddy"
Linked ships...
Mauretania 
mencionado na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
Queen Mary
mencionado na 9ª história, intitulada "Teddy"
Linked historical events...
V-E Day
 mencionado na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
D-Day 
mencionado na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
Linked clothing...
tecido escocês: tartan dos Campell 
mencionado na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
calções de lã Shetland
 mencionado na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
blusões Eisenhower
 mencionados na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
gravata Sulka
 mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
 Linked nightclubs and restaurants...
Stork Club (Nova Iorque, E.U.A.)
mencionado na 5ª história, intitulada "Em baixo no bote"
Schrafft´s da Rua 88 (Nova Iorque, E.U.A.) 
restaurante mencionado na 6ª história, intitulada "Para Esmé - com amor e sordidez"
Linked parks...
Central Park (Nova Iorque, E.U.A)
mencionado na 4ª história, intitulada "O homem que ri" e também na 5ª história, intitulada "Em baixo no bote"
Van Cortland Park (Bronx, Nova Iorque, E.U.A.)
mencionado na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Linked museums...
Museu de História Natural (Nova Iorque, E.U.A)
mencionado na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Metropolitan Museum of Art (Nova Iorque, E.U.A)
 mencionado na 4ª história, intitulada "O homem que ri"

Linked religious figures...
Bramamencionado na 9ª história, intitulada "Teddy"
Linked movies...
A Bela e o Monstro (1946) de Jean Cocteau
filme mencionado na 3ª história, intitulada "Pouco antes da guerra com os esquimós"

Linked music...
canção mencionada na 5ª história, intitulada "Em baixo no bote"

 Sweet Sue
canção mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"

canção mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
Linked art...
Les Saltimbanques (Picasso)
obra mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"
 Linked baseball teams...
Giants de Nova Iorque
equipa mencionada na 4ª história, intitulada "O homem que ri"

Linked magazines...

Revista Vogue
mencionada na 3ª história, intitulada "Pouco antes da guerra com os esquimós"
Linked weapons...
"Ortgies calibre 7.65 automática"
(1ª história, intitulada "Um dia ideal para o peixe-banana")

Linked stores and malls...
Esta loja foi mencionada na seguinte frase: "blusa da Saks"
(na 1ª história, intitulada "Um dia ideal para o peixe-banana")
Esta loja foi mencionada na seguinte frase: "montra da Bonwit"
(na 1ª história, intitulada "Um dia ideal para o peixe-banana")
Lord & Taylor
loja mencionada na 2ª história, intitulada "Pai Torcido no Connecticut"
Linked brands...
Baby Ruth
chocolate mencionado na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Herbert Tareyton
cigarros mencionados na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Ingersoll
relógios mencionados na 4ª história, intitulada "O homem que ri"
Hermes-Baby
máquina de escrever mencionada na 8ª história, intitulada "A fase azul de De Daumier-Smith"

Linked looked up words...
ímpio - que ou quem não tem religião; que ou quem é contrário à religião; que ou quem não respeitas as coisas sagradas ou as práticas religiosas; que ou quem ofende o que se considera digno de respeito; desumano, cruel (palavra da 8ª história, intitulada "A Fase Azul de De Daumier-Smith").
marçano - aprendiz de caixeiro (palavra mencionada na 7ª história, intitulada "Linda boca e verdes meus olhos")
moleja - glândula carnosa que se forma em diversas partes do corpo dos animais; excremento de aves; [popular] o pâncreas das reses. (palavra da 2ª história, intitulada "Pai Torcido no Connecticut")
obnóxio - submisso, servil; funesto, nefasto (palavra da 8ª história, intitulada "A Fase Azul de De Daumier-Smith")
vante - [náutica] dianteira do navio; proa; parte coberta que fica do lado da proa (palavra da 9ª história, intitulada "Teddy")
vacúolo - [citologia] cavidade do protoplasma. (palavra da 4ª história, intitulada "O homem que ri")

2 comments:

  1. MEU DEUS! TANTOS LINKS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Está aqui um MEGA trabalho! Parabéns! 5 estrelas ;)
    Roberta

    ReplyDelete
  2. Está quase a sair outro post assim "pequenino" como este :). Obrigada Flames!

    ReplyDelete