Tuesday, May 15, 2012

O Processo - Franz Kafka

Linked by...
Este livro apareceu referenciado em O Deus das Moscas de William Golding, mas apenas enquanto publicidade da editora em contracapa, e não no texto. De qualquer das formas, por vezes, tenho aceitado essas referencias , de igual forma como aceito as que surgem directamente no texto. E este título não seria para descurar. Estava bastante curiosa ao iniciar a sua leitura, imaginando como seria esta obra. Do autor, apenas havia lido "A Metamorfose", e apesar de não ter correspondido totalmente às minhas expectativas, constituiu uma leitura inolvidável.

Posteriormente, foi também mencionado em:
Linked opinion...
Este livro causou-me essencialmente um sentimento de "estranheza". Relembrei, a propósito, as mesmas emoções que senti ao  ler "A Metamorfose"... Existe enredo e história, que nos capta o interesse e nos faz avançar na sua leitura. Contudo, se no fim nos perguntarmos o que foi de facto contado, pouco ou nada se extrai... É claro que entendemos que se trata de uma crítica. Em particular ao sistema judicial excessivamente burocratizado, e, em geral, à nossa forma de organização social. Uma sociedade cuja estrutura é considerada opressiva, e na qual, o indivíduo acaba por ser "engolido" , perdendo-se numa complicada engrenagem, sem pouco ou nada poder fazer, para dela se escapar. No fundo, uma crítica à falta de liberdade individual da sociedade moderna, uma vez que a modernidade tende a iludir-nos a noção contrária. Se uma parte figura no livro, outra parte, talvez a maior, retiramos depois. Inúmeras interpretações (filosóficas, psicológicas, etc.) têm sido feitas a esta obra. Parece-me que este livro acaba por ser um ponto de partida para uma "discussão" mais profunda, e uma base para as mais diversas análises e reflexões. A forma como é escrito, e que me causou "estranheza", baseia-se no facto de se relatarem locais, pessoas, mas em particular, interacções tão reais quanto absurdas, ou despropositadas. Estas, captam o leitor, mas  de nada servem o enredo, ou se o fazem, só mesmo de forma tangencial. Esta, pelo que entendi, é a forma natural de Kafka escrever, que lança aqui também vários pontos de partida para interpretações, procura de simbolismos e metáforas. Categorizando, julgo que se tratará de algo que se costuma chamar de realismo fantástico, mas que em vez de ser "colocado na caixa", talvez se possa designar apenas de "kafkiano". Aquilo que o autor de facto quis dizer, talvez apenas ele o saberá. Para mim, considero que esta obra constitui um excelente motivo  para reflexão e para debate, tal como o foi também para mim,  "A Metamorfose". 

Linked movies...
Estas são as duas mais importantes versões cinematográficas deste livro de Kafka.
 



Linked books...
O único livro referenciado, que surge apenas em publicidade de contra-capa, é:
Os Carneiros de Fogo - Pierre Gascar

Linked words...

igualha -  identidade de condição social ou moral.
otomana - sofá largo sem respaldo.
sequazes - que ou pessoa que segue, que acompanha; partidário; membro de um bando ou partido (relativamente ao chefe ou à ideia); sectário; seguidor.
libelo - exposição breve e articulada do que se pretende provar contra um réu; acusação; escrito acusatório.
retábulo - obra de arte de pedra ou madeira esculpida, de encontro ao altar; painel ou quadro de altar. 

2 comments:

  1. Olá Cristina,
    Tenho este livro para ler. Aliás, iniciei a leitura, mas devido à tal "estranheza" que referes não me cativou o suficiente. Nem sempre estamos devidamente sintonizados para ler determinado livro, portanto daqui a algum tempo volto a tentar ;)
    Aproveito também para elogiar a forma como organizas as opiniões das tuas leituras, associando os vários aspectos relacionados com o livro: locais, músicas, etc.
    Continua o excelente e empenhado trabalho!

    ReplyDelete
  2. Olá Carla. Muito obrigada por este seu simpático comentário. Quanto a este livro, de facto é um pouco complicado, não de ler, mas de nos conectarmos à história enquanto leitores. Este aspecto é realmente essencial para uma boa leitura, e realmente, o nosso estado de espírito conta muito. Mas aqui acho que é mesmo o livro que não ajuda :)

    ReplyDelete