Wednesday, May 23, 2012

O Hóspede de Job - José Cardoso Pires

Linked by...
Este livro surge por referência de "O Deus das Moscas" de William Golding. Não se tratou de uma referência directa, mas sim por publicidade da editora, na sua contracapa. Tratando-se de José Cardoso Pires, uma referência na literatura nacional, aceitei sem reservas esta referência, apesar da sua natureza indirecta. Obter um exemplar desta obra, também foi muito fácil. Para tal, utilizei como recurso uma comunidade online de troca de livros, a Winking Books, através da qual obtive um exemplar em perfeitas condições. Já antes, o livro "O Processo" de Kafka, fora obtido do mesmo modo, e julgo que mais se seguirão. Aos amantes de livros, aconselho vivamente a utilização desse site.

Linked Opinion...
Já esperava uma boa leitura, o que veio a confirmar-se. Mas uma surpresa me esperava. Senti-me quase "em casa" durante esta leitura. Apesar deste tempo já não ser o meu, e talvez pouco diga às gerações pós 25 de Abril, o lugar é o meu. O meu Alentejo, a minha terra, "as minhas gentes"... tudo me pareceu tão familiar. A minha terra natal, tal como o Cercal Novo, foi durante muitos anos uma "vila-quartel", de artilharia, com um polígono de tiro, e bem perto de Lavre e de Montemor. Da pobreza do Alentejo desses tempos, das jornas de terra em terra, da procura de trabalho longe do lar, foram também protagonistas os meus avós paternos. Deles me habituei a ouvir as histórias das "durezas" desses tempos. E é assim este livro, também ele simples e duro, contrastando as agrestes realidades do figurado "Job" com as do seu hóspede. A balança com um prato totalmente vazio, de pobreza, e o outro pesado a abarrotar , de (pre)potência do visitante. Personagens fortes, corajosas, pobres, leais, há de tudo, nestas gentes do Alentejo. Em redor delas se desenvolvem mini histórias que me prenderam às páginas deste livro, a partir do primeiro momento. Apenas não gostei de um pequeno pormenor: cheguei ao fim demasiado depressa...

Linked people...

Sébastien Le Preste de Vauban (1633-1707)
Ardant du Picq (1821-1870)

Matthew Ridgway (1895-1993)
George S. Patton (1885-1945)
Linked songs...


 



Linked bird...

Peneireiro
Linked places...
Muitos são os locais referidos. Para partilhar, escolhi alguns...

Beringel (Beja, Portugal) foto de Nuno Chacoto
Lavre (Évora, Portugal)
Montemor-o-Novo (Évora, Portugal) foto de João Fialho
Monte Cassino (Itália)
Kalamazoo (Michigan, USA)
Linked books...
As obras referidas no texto, de "literatura de cordel", são os folhetos lidos pelo velho Aníbal, os quais não podem ser aqui incluidos. No entanto não quis deixar de, de alguma forma dar continuidade a esta leitura. No final do livro estavam referidas todas as obras do autor publicadas pela editora. Não podendo incluir todas, procurei na Winking Books se havia alguma disponível. Assim, ficou esta como única referência deste post:


Sovela
Linked words...

locanda - tenda, tasca, loja reles.

gaibéu - mondador que trabalha nas lezírias do Ribatejo.

ganhão -  homem sem ofício que trabalha a jornal; cavador; zagal; homem rude. = RÚSTICO


algoz - pessoa que inflige castigos físicos ou pena de morte; pessoa cruel.

sovela -  instrumento com que os sapateiros e correeiros abrem os furos por onde fazem passar a cerda com o fio.

4 comments:

  1. Também gostei bastante do livro de Cardoso Pires. Mas existe uma questão que não me sai da cabeça: como é que a PIDE autorizou a publicação da obra?

    ReplyDelete
  2. Essa é realmente uma excelente pergunta. Voltei a investigar sobre o livro para tentar obter uma resposta, mas até agora, não tive sorte. Contudo, fiz duas descobertas para mim interessantes.

    Em primeiro lugar descobri porque é que este livro me fez lembrar tanto a minha terra (Vendas Novas): simplesmente porque foi nela que o autor se inspirou para escrever a história. José Cardoso Pires fez serviço militar em Vendas Novas (1947) e Cercal Novo «um clarim, uma igreja abraçada ao quartel» é a metáfora literária de Vendas Novas.

    "Descobri" também que os filmes dobrados eram proibidos no tempo da ditadura, para que os censores pudessem atempadamente alterar e cortar as legendas. Para além disso, mantendo os filmes estrangeiros legendados, e uma vez que a maioria da população era analfabeta, Salazar garantia o sucesso e a glorificação do cinema português.

    Agora como é que esta obra é publicada quando por exemplo Os Bichos de Torga são censurados, não sei...espero descobrir ainda ou que mais alguém contribua para esclarecer esta questão.

    Obrigada Tiago.

    ReplyDelete
  3. Olá Tiago
    Encontrei hoje esta notícia do Expresso. Segundo o pdf anexo à notícia, "O Hóspede de Job" foi também censurado. Contudo, tem um asterisco à frente do nome, a o autor (José Brandão) diz que:
    "Os títulos assinalados com asterisco (*) estavam sujeitos a uma
    proibição especial, variando entre a Metrópole e as Colónias, ou viram
    alterada a sua situação face à Censura."
    o link é:
    http://expresso.sapo.pt/os-900-livros-que-a-censura-proibiu=f720543

    Ficamos ainda sem saber o que aconteceu de facto a este livro, mas...já é mais qualquer coisa.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá Cristina,

      Obrigada pela informação que me deu.
      Também descobri a cópia do despacho que autoriza a publicação da obra, publicai no meu blog. Está datado de 1964.
      Pelo estudo do José Brandão deve ter sido posteriormente censurada.

      Delete