Tuesday, April 24, 2012

O Espião Que Saíu Do Frio - John Le Carré


Linked by...
Foi no livro Coca-Cola Killer, de António Victorino D´Almeida que surgiu, a título de trocadilho, a obra de um personagem denominada "O Frio Que Veio Do Espião" que me levou a incluir a referência a este título, o real. Sendo este um livro de espionagem, género esse que nunca foi do meu interesse, enquadrava-se perfeitamente no desafio que me propus nas "viagens" entre referências que este blogue descreve. Levou-me assim a um livro que provavelmente nunca teria escolhido para ler, e que se revelou, não uma surpresa, mas uma boa história e uma leitura agradável.

Linked opinion...
O tema da espionagem, como já referi, nunca foi do meu interesse, quer se tratasse de livros, filmes ou séries televisivas, a não ser o "Olho Vivo", que muitas e boas recordações me deixou da minha infância e adolescência, mas isso é "outra coisa". Esta obra nunca seria assim, alvo da minha escolha. A partir do momento em que me apercebi de que género se tratava, imaginei traições, mentiras, (des)lealdades, assassinatos em catadupa, reviravoltas mirabolantes, um enredo difícil de iamginar ou enquadrar na realidade, e um sem número de personagens com comportamentos criminosos sob o lema dos meios justificarem os fins. E foi isso mesmo que encontrei. Os eternos "bons" e "maus", mas em que os bons são exactamente iguais aos maus, diferindo apenas na ideologia ou política que legitima os comportamentos de cada uma das partes. Mas não será sempre assim? O quem me fica desta história, é a possibilidade da existência de amor, mesmo em contextos totalmente contrários a que o mesmo exista, em ambiente de desconfiança constante de tudo e de todos, e de perigo iminente a quem se possa permitir algum tipo de humanidade. O amor, ou "pseudo" amor desta história permite que surja um pouco de lealdade, numa história de completa mentira, ainda que essa lealdade seja trágica. Mas tragédia e amor sempre andaram de mão dadas nos grandes clássicos. E este é também ele um clássico. Deste género é certo, mas é. Daí que para quem aprecie o género, aconselho a sua leitura. Quanto aos restantes, esperem um boa história, de leitura fácil e rápida, e quem sabe, a abertura a novos gostos em termos de géneros literários. Para mim ainda não foi desta que fiquei "fã", mas agradou-me ler este livro. Alguma coisa sempre fica...

Linked movie...

Este livro foi adaptado ao cinema em 1965, e realizado por Martin Ritt

Linked Song...



Apenas uma canção foi referida. trata-se de "Ilkley Moor Barht'at", uma canção popular que representa quase um hino do Yorkhsire.


Linked book...
Existe apenas uma referência a livros, e é feita no prefácio pelo autor. Fala-nos aí, em jeito um pouco depreciativo, da obra que se seguiu a esta, que decidi incluir aqui:

Linked drink...

Neste livro, apesar de se beber imenso,  há apenas referência a um bebida, que para mim era desconhecida. Chama-se Pink Gin. Encontrei aqui um pequeno vídeo que mostra como fazer este cocktail.



Linked cars...
Opel Rekord 1958



Algumas referências a carros despertaram-me a curiosidade. Uma delas foi ao Opel Rekord, que tive dificuldade em lembrar qual seria. Após procura de informação sobre este carro, verifiquei que foram comercializados vários modelos do Opel Rekord, entre 1953 e 1986. Na foto ao lado temos o modelo de 1958. Para saber mais sobre a história do Opel Rekord, clique aqui.



DKW (AU1000S, seguido de perto por um F91)

A referência a esta marca de automóveis, a DKW, foi uma completa novidade para mim. Nunca tinha ouvido falar de tal coisa. Trata-se no entanto de uma marca histórica de automóveis e motocicletas, associada em todo o mundo a motores com ciclos de dois tempos. Encontrei muitas fotos de carros e motos, com modelos fantásticos, e foi difícil escolher uma para partilhar. A história desta marca alemã é também bastante interessante.




Este foi outro dos veículos que despertou a minha curiosidade. O Mercedes 180.
Linked people...

Não foram muitas as personalidades que este livro referiu. De notar que Graham Greene não é uma referência no texto. Resolvi incluí-lo por causa da sua frase que figura na capa do livro. Diz ele sobre esta obra : "A melhor história de personagem que alguma vez li.". Sendo-me muito familiar o nome do autor, mas sem conseguir "arrumá-lo" em termos de género literário ou títulos de livros, ficou-me a curiosidade de procurar mais informação sobre este autor.

Graham Greene (1904- 1991)

Arthur Koestler (1905 - 1983)

Nikita Khrushchev (1894 - 1971)

Honoré de Balzac (1799 - 1850)


Linked newspapers...

Nunca faltam jornais em histórias de espiões...aqui ficam alguns dos que foram mencionados no texto, a título de curiosidade.


The Observer
Continental Daily Mail
Le Monde
Le Figaro
Neue Zurcher Zeitung
Die Welt
Evening Standard
Linked dance...
 Morris Dancing, uma antiga dança foclórica inglesa em que os figurantes representavam personagens lendárias.

Linked words...

bambúrrio - Carambola que se faz por onde não era jogada. Acaso feliz.
assestar - Chegar (a boca da peça) para a canhoneira. Apontar.

VoPos - A Deutsche Volkspolizei (DV, "Polícia Popular Alemã") ou apenas Volkspolizei, foi um corpo de polícia nacional da República Democrática Alemã. Formou-se logo após o final da Segunda Guerra Mundial na Europa e aboliu-se com a Reunificação da Alemanha. Os seus agentes recebiam o nome de VoPos. Entre outras tarefas, os VoPos foram encarregados de vigiar zelosamente e disparar a matar quem pretendesse atravessar o Muro de Berlim ou a restante fronteira interna alemã para fugir.  



arrostar - Fazer face a, encarar sem medo. Abalançar-se, atrever-se. Afrontar. Defrontar, afrontar, expor.
ornear - Zurrar, ornejar.
creosoto - Líquido cáustico e anti-séptico extraído do alcatrão e próprio para conservar substâncias orgânicas, nomeadamente a carne.
presciente - Que tem presciência, que prevê o futuro. Previdente.


casamata - Bateria abobadada. Casa à prova de bomba para explosivos ou para habitação de governador de um castelo. Abrigo subterrâneo fortificado, geralmente abobadado. = BÚNQUER. Bateria que defende um fosso.

No comments:

Post a Comment